Um Mundo de Soluções a Pensar em Si!

José Cid & Octeto, apresenta no Coliseu dos Recreios a 24 de fevereiro, um concerto único e certamente inesquecível, nos quais irá interpretar o seu reconhecido álbum de rock sinfónico “10.000 anos depois de Vénus e Marte”, acompanhado pela Orquestra Filarmonia das Beiras.

Este álbum conta uma história com Princípio Meio e Fim de um Planeta Terra a Renascer.

Editado pela Orfeu em 1978, “10.000 anos depois entre Vénus e Marte” é um álbum de rock progressivo, uma ópera-rock e também um dos poucos álbuns de rock espacial em Portugal. Com base em ficção científica, o conceito é que, 10.000 anos depois da autodestruição da humanidade, um homem e uma mulher viajam de regresso para a Terra para a repovoar novamente.

a Sputnik Music Magazine UK, especializada em rock progressivo, o coloca entre os 5 melhores álbuns de sempre.

José Cid & Octeto, apresenta no Multiusos de Guimarães, um concerto único e certamente inesquecível, nos quais irá interpretar o seu reconhecido álbum de rock sinfónico “10.000 anos depois de Vénus e Marte”, acompanhado pela Orquestra Filarmonia das Beiras.

Este álbum conta uma história com Princípio Meio e Fim de um Planeta Terra a Renascer.

Editado pela Orfeu em 1978, “10.000 anos depois entre Vénus e Marte” é um álbum de rock progressivo, uma ópera-rock e também um dos poucos álbuns de rock espacial em Portugal. Com base em ficção científica, o conceito é que, 10.000 anos depois da autodestruição da humanidade, um homem e uma mulher viajam de regresso para a Terra para a repovoar novamente.

a Sputnik Music Magazine UK, especializada em rock progressivo, o coloca entre os 5 melhores álbuns de sempre.

Beatriz Rosário, extraia-se no palco Casa da Música, sala Suggia no dia 24 de março, com uma voz inigualável a artista irá dar um concerto inesquecível!

Vibrante e irreverente, Beatriz Rosário teve nos discos da avó a inspiração e no fado um berço, sendo que ainda adolescente, tornou-se presença obrigatória nas mais emblemáticas casas do país.

Com talento e intensidade, o poder da palavra cantada ganha um novo significado com Beatriz Rosário. De promessa a confirmação, o seu trajeto tem sido pautado pelo reconhecimento em palco, tendo já arrebatado o público no Festival Caixa Alfama, Festival Meo Marés Vivas, Festival Meo Sudoeste, Festival F e no Festival Super Bock em Stock.

No seu EP de estreia, “Beatriz”, apresenta-nos “Ficamos por Aqui” e “Tarde Demais”, dois singles que se tornaram banda sonora das rádios portuguesas em 2022. Sendo que ainda neste ano de 2023 será lançado o seu novo trabalho discográfico.

A Palmas ao Palco produtor do espetáculo, doará o lucro obtido à Associação EU SOU EU.

 

Buba Espinho jovem cantor natural de Beja. Desde cedo que vive e sente a música de raiz intensamente, pela mão do pai, também músico, que lhe transmitiu a importante missão de a preservar.

A relação entre dois patrimónios culturais imateriais da humanidade, o Cante Alentejano e o Fado, sente-se quando o ouvimos e está bem presente neste seu álbum de estreia.
Se o Cante Alentejano surge de pequeno com Buba, o Fado aparece mais tarde, mas de forma natural, como a estética que percebeu que iria cruzar em perfeita harmonia as influências das suas raízes.